A vida no campo

AS 5 MELHORES COISAS QUE O CAMPO ME DEU!

maio 25, 2018



-Respirar ar puro-
Não há nada tão bom para clarificar as ideias como respirar o ar frio e leve das montanhas. Desde fazer desporto pelos trilhos que rodeiam a minha casa até passear com a minha filha, o ar que respiramos é sempre saudável e agradável, leve e por vezes húmido. Sabe tão bem!

-Abrandamento-
Quantas vezes ao longo do nosso dia olhamos para a correria que se desenrola e dizemos para nós: preciso de umas férias, preciso de me afastar desta confusão. Pois bem, em minha casa, ou pelo menos em volta dela (!) a sensação de abrandamento é incrível. Tudo acontece de forma lenta. As pessoas param para falar umas com as outras, e poderiam estar ali na conversa durante 5 minutos ou uma hora, tanto faz. Porque na verdade não têm de ir a lado nenhum. Têm coisas para fazer, claro que sim! Mas tudo pode esperar. O contacto entre as pessoas que aqui vivem é directamente proporcional a este abrandamento.

-Silêncio-
Não damos por falta dele até finalmente não podermos viver sem ele. Aqui não há silêncio. Há sons por todo o lado para quem souber escutar. Os animais preenchem-no e o vento nas arvores também. À noite, houve-se um mocho que mais parece uma qualquer sinalética sonora artificial e moderna, é maravilhoso.

-A vista-
Sabem aquela sensação de abrir a janela do quarto num hotel no meio do nada e apenas contemplar a paisagem? Quando paramos para olhar a vista é magnifica.

-Contacto com a natureza-
Saber que a minha filha vai crescer com os pés na terra, no meio de todo o tipo de animais e plantas, é uma sensação adorável! Depois do contacto com a natureza vem o respeito por ela. O respeito pelas coisas vivas é uma das coisas mais importantes para se ensinar a uma criança. 

A Catraia

Matilda

À DISTÂNCIA DE UM BEIJINHO!

maio 25, 2018




Assim me ensinaram a carregar o meu bebé: “à distância de um beijinho”. Eu carrego a Matilda quase todos os dias, só não o faço quando não tenho tempo. Aqui nas Fontes temos caminhos largos e bonitos para levar o carrinho, mas raramente o fazemos. Isso seria limitar as nossas opções. Ora vejamos: quando chove o carrinho não dá muito jeito (nem tenho uma daquelas protecções de plástico); quando queremos explorar outros caminhos com escadas naturais e mais íngremes e cheios de pedras, escusado será dizer que o carrinho não entra. Pois bem, com o nosso paninho nada nos pára! Se chove: Galochas, paninho e chapéu de chuva, aí vamos nós! Se queremos explorar outros caminhos: botas de montanha e protecção para a cabeça. As coisas que nunca podem faltar nas nossas aventuras: Chapéu, gorro ou lenço na cabeça; Protector solar, galochas ou botas de montanha com rasto apropriado; água. Devemos ter em atenção se a restante roupa é apropriada. Por exemplo, o bebé deve usar calçado que não deixe os dedos encolhidos, nós por cá usamos só umas calças de pano e meias. Eventualmente levo uns sapatinhos dentro da mochila caso ela queira sair do pano para explorar as redondezas. E assim vamos nós por entre beijinhos e risos, ver os nossos amigos patos e outros bichos.


A Catraia